Início DESPORTO Witi: “Sonho em brilhar na Liga Europa e elevar a bandeira de...

Witi: “Sonho em brilhar na Liga Europa e elevar a bandeira de Moçambique”

COMPARTILHE

O internacional moçambicano, Witiness Chimoio João Quembo, ou simplesmente Witi, como é carinhosamente tratado nos meandros do futebol, diz sonha em competir na Liga Europa e, quiçá, vencer aquela que é tida como sendo a segunda liga mais importante do velho continente, depois da Liga dos Campões.

Em entrevista ao canal televisivo do CD Nacional da Madeira, equipa em que actua há sensivelmente seis anos, disse ter a noção de que conseguir competir naquela liga europeia sera um trabalho árduo e a sua equipa se está focando em dar um passo de cada vez e, para já, o objective é voltar à Primeira Liga portuguesa denominada LIga NOS.

Eis, na íntegra, a entrevista de Witi concedida ao Canal CD Nacional.

CD Nacional (CDM)- Seis anos no nacional e já é muito tempo. Lembras-te do primeiro dia que chegaste ao Nacional da Madeira?

Witiness Quembo(WQ)- Sim, sim, ainda me lembro. Lembro que quando cheguei aqui na Madeira vim com a missão de representar os juniores e foi ai que a minha história pelo futebol europeu começou. Foi nesse momento que comecei a trabalhar duro, como tem sido meu carácter, para chegar até ao nível em que estou hoje.

Eu acho que desde o dia que cheguei tenho alcançado muitas coisas boas e pretendo seguir.

(CDM)- Foram seis meses no Nacional e depois mais seis meses na equipa de Juniores do Benfica. Certamente que foi uma experiencia boa para si!

Sim. Foi uma experiência boa para mim, por que a minha ida ao Benfica de certa forma ajudou me bastante, principalemente do ponto de vista professional. Porém, decidí depois voltar à casa por que me sinto mais confortável aqui no Nacional, fui bem recebido desde o primeiro dia que cheguei. Então, na primeira oportunidade que tive para voltar, nao exitei.

(CDM)- Já vais para o sexto ano aqui no Clube. Que balanço é que faz destas temporadas todas?

Antes de vir ao Nacional já ouvia falar do Nacional, era uma grande equipa. E quando cheguei aqui pude ver a grandeza do clube e hoje estou a representar o clube o que me engrandece também. Desde que estou na equipa principal do Nacional acho que temos tido um percurso não negativo, mas também não tão bom. Como todos sabem, o Nacional tem ambições de competir em grandes campeonatos e um deles é a Liga Europa e desde que estou aqui ainda não consegui atingir esse patamar. Mas tenho a certeza que, com o processo e com o trabalho que temos vindo a fazer, um dia vamos chegar lá. Para já, estamos a fazer as coisas passo-a-passo. Estamos agora na segunda divisão e o nosso foco é voltar para a primeira Liga, consolidar a nossa presença na alta competição por que é lá onde o nosso clube merece estar.

(CDM)- Tu fizeste parte da equipa que foi campeã da segunda liga há dois anos. Julgas que este foi o momento mais alto aqui no clube?

Sim. Foi o momento mais marcante na minha vida por que nunca havia ganho um título aqui na Europa e aquele foi o primeiro. Sentí-me feliz, muito honrado em fazer parte da história deste clube e pretendo repetir esta época.

(CDM)- As coisas estão a correr bem. A equipa está em posição que lhe permite subir de divisão, tem cinco (5) pontos de vantagem sobre a equipa que está na terceira posição. Estão satisfeitos com aquilo que têm feito até agora, ou acham que ainda têm de melhorar?

Bom, nós fizemos uma boa primeira volta e agora queremos nos focar na segunda volta e sempre com a intenção de melhorar de jogo em jogo e em qualquer campo que formos vamos determinados a ganhar. Mas independetimento do resulta, ou seja, ganhando assim como não, sempre temos algo a melhorar, principalmente nesta fase que é muito mais competentiva e todas equipas vão entrar para lutar nesta segunda volta. Cada jogo que tivermos é para melhorar para estarmos perto dos nossos objectivos.

(CDM)- A equipa esteve três jogos sem ganhar e depois segue-se uma vitoria na casa do Desportivo de Chaves, numa vitória clara por 0:2. Este resultado permite a equipa e aos jogadores recuperarem a confiança?

Sim. De certa forma permite sim. A vitória foi muito importante, nesta fase de arranque da segunda volta, uma vez que não terminamos bem a primeira volta. Mas o grupo sempre esteve empenhado e focado em ganhar e este jogo foi mesmo para mostrar o nosso carácter, dado que no jogo que antecedeu a este as coisas não correram lá muito bem. Mas as vezes há jogos assim e o que fizemos foi dar a volta por cima e trabalhar mais. Não que antes deste jogo não trabalhassemos. Trabalhamos sempre e como disse há pouco, procuramos sempre melhorar cada jogo e é assim que vamos seguindo para ganhar cada jogo, seja fora, assim como em casa.

(CDM)- Tem sido uma época diferente para Witi, em termos de posição que ocupa no terreno. Lateral esquerdo não era uma posição habitual para si.

De facto. E por falar nisso, foi algo que me pegou de surpresa, não esperava. Mas no início da pré-época o Mister falou comigo, achou que eu poderia ajudar o grupo naquela posição. Mas eu sou jogador e estou aqui para ajudar o grupo e seja qual for a posição que o Mister me colocar eu vou estar lá, sempre a dar o meu máximo. Se o Mister achar que contribuo melhor a lateral esquerdo, vou lá jogar, apesar de não ser minha posição. O importante neste momento é o grupo e o clube, isso é mais importante.

(CDM)- Já disse aqui que o Nacional para si é uma espécie de casa. É uma casa para ficar muito mais anos?

Meu desejo é ficar aqui os anos que forem possíveis. Só saio daqui se o clube não me quiser mais . Porque tenho muito a retribuir este clube. Foi o clube que me abriu as portas quando cá cheguei. Então quando tu és recebido do jeito que o Nacional recebeu-me, como já fez com vários moçambicanos que já passaram por aqui, tens que retribuir. Enquanto o clube mequiser, vou estar aqui.

(CDM)- Witi já pensou no que vai ser depois do futebol ou ainda é cedo para isso?

Não. Ainda não por que com a idade que tenho, ainda tenho muito que aprender. Tenho muito a dar e tenho muitos desafios pela frente. Ainda não pensei no que vou fazer fora do desporto, porque ainda tenho muitos objectivos por alcançar.

(CDM)- Como é estar na Madeira? Como é viver longe da sua famíia, pese embora tens a tua esposa e tua filha cá.

Como disse há pouco, já me estou habituando, tenho feito algumas amizades mais próximas. Já estou aqui há seis anos. Eu gosto de estar aqui na ilha, o ambiente é fantástico. Apesar de ser uma ilha pequena, é tudo bonito aqui, as pessoas são acolhedoras, simpáticas. Então sinto me em casa, já que estou aqui com a minha esposa, minha filha. Mas as vezes sinto saudades de casa. Mas este é o meu trabalho.

(CDM)- Como é que Witi passa os tempos livres em casa?

Agora que tenho a minha filha comigo, eu fico mais em casa com ela. Ela gosta muito de ver desenhos animados. Não sou muito de sair. Por exemplo, quando estou de folga, gosto de estar em casa, embora minha esposa costuma pedir me para sair e tenho de facto saido com ela. Mas gosto mais é de ficar em casa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here