Início SOCIEDADE Subinspector da PRM detido por “alugar” farda para malfeitores em Manica

Subinspector da PRM detido por “alugar” farda para malfeitores em Manica

COMPARTILHE

Um agente da Polícia da República de Moçambique encontra-se detido nas celas do Comando Distrital de Sussundenga, província de Manica, acusado de emprestar o seu fardamento a um agente de policiamento comunitário para assaltar e extorquir a população local na calada da noite, alegadamente porque está fiscalizar o cumprimento do estado de emergência naquele ponto do país.

Trata-se de Miguel Fernando, membro da PRM desde 1988, antes da sua detenção, não só ostentava a patência de Subinspector da polícia, como também ocupava o cargo de Comandante de Pelotão, no Comando Distrital de Sussundenga, onde com frequência disponibilizava a sua farda aos civis para fazer cobranças ilícitas aos proprietários dos estabelecimentos de venda de bebidas alcoólicas que se encontravam encerrados em cumprimento do estado de emergência.

Em conexão com crime, encontra-se detida uma cidadã, por sinal também membro da
PRM, que participava nas incursões em companhia de dois agentes de policiamento comunitário, em que, segundo apurou a nossa reportagem, os meliantes extorquiram dezenas de agentes económicos, num valor
aproximado aos 60.000.00MT (Sessenta mil meticais).

Esta informação foi confirmada pelo chefe do departamento das Relações Públicas da PRM em Manica, Mário Arnança, afirmando que a detenção deste cidadão ocorreu graças a denúncia do presidente do Conselho Comunitário de Segurança daquele distrito, este que recebia com frequência queixas da população de extorsão por parte de supostos impostores.

Mário Arnança disse que devido a proactividade da polícia, os supostos malfeitores não conseguiram levar mais de 30 dias a lograr os seus intentos, tanto que se encontram detidos, inclusive os membros da corporação com vista a desencorajar actos criminais dentro da PRM ao nível da província de Manica.
“De facto é um comportamento repugnante, não é aceite nas fileiras da polícia, por isso a policia agiu, conseguiu recolher para não denigrir a imagem, isso vai denigrir de certa forma a imagem da polícia e a polícia conseguiu tomar essas providências, de facto para corrigir este tipo de comportamento, to-
dos serão responsabilizados criminalmente”, disse Arnança.

Questionado sobre a falha no interior da corporação numa altura em que crescem os casos criminais que envolvem membros da polícia da República de Moçambique em Manica, ao que Mário Arnança respondeu, “não está a falhar nada, de facto este é um comportamento individual de pessoas e a polícia tem conseguido estancar, tem conseguido recolher aos calaboiços a todos que vão prevaricando, portanto não estamos a falhar nada, é um comportamento individual”.

Durante o passado fim-de-semana, a polícia em Manica deteve um cidadão de 30 anos de idade, por sinal condutor de transporte semi-colectivo de passageiro, indiciado de tentar subornar um agente regulador de trânsito num valor de 100Mt (Cem maticais), para escapar da infracção por ele cometido, em que transportava passageiros acima do estabelecido durante o estado de emergência no país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here